Azeite extravirgem contra o ac˙mulo de gordura
Postada em: 26/12/2007
Fonte: Folha de Londrina - PR 13/12/2007

Uma pesquisa recente mostrou que duas colheres de sopa de azeite extravirgem são suficientes para prevenir o acúmulo de gordura na região do abdome, que forma a temida barriga. Para quem se animou com a notícia, é bom saber: o azeite extravirgem é benéfico, sim, para a saúde. Mas é preciso lembrar que também é gordura, e em excesso tem efeito contrário.

Dos azeites, apenas o extravirgem é considerado alimento funcional, definido como aquele que além de cumprir as funções nutricionais básicas, quando consumido regularmente, tem efeitos benéficos à saúde. O azeite extravirgem tem benefícios porque é rico em ácido graxo ômega 9, o chamado ácido oleico, e flavonóides, as mesmas substâncias antioxidantes presente no chocolate e no vinho.

A presença de antioxidantes evita a formação dos radicais livres, que favorecem o envelhecimento das células e o aparecimento de doenças. Além disso, os antioxidantes fortalecem o sistema imunológico. ''A composição química do azeite apresenta hidrocarbonetos (esqualeno), o que favorece a excreção de toxinas e a saúde celular'', afirma Marília Malvezzi Karwowski, engenheira de alimentos da importadora La Violetera. ''O azeite também possui compostos fenólicos, que inibem a oxidação'', completa.

Segundo a bioquímica Rejane Dias Neves Souza, doutora em ciência de alimentos e professora da Universidade Norte do Paraná (Unopar), 75% dos ácidos graxos presentes no azeite extravirgem é de ômega 9. ''É a nossa principal fonte'', ressalta.

A nutricionista explica que nosso organismo precisa, para um bom funcionamento, dos três tipos de ácidos graxos - ômegas 3, 6 e 9. A ingestão dos três deve ser equilibrada, para favorecer a formação, por exemplo, do HDL, o chamado colesterol bom.

Mas, o problema é que a maioria das pessoas ingere muito mais o ômega 6, presente em quase todos os alimentos, enquanto os ômegas 3 e 9 têm fontes mais restritas. As principais fontes de ômega 3 são os peixes, mas não qualquer um - eles estão presentes em grandes quantidades na sardinha, no atum e no salmão.

Para o azeite não perder suas propriedades benéficas à saúde, não deve ser levado ao fogo, mas deve ser consumido cru. Por isso, a recomendação é usá-lo para temperar saladas. E se a pessoa acrescentar limão - lembra Rejane - ainda há um incremento de vitamina C, também antioxidante.

Enquanto os outros óleos são produzidos a partir das sementes, o azeite é o único óleo extraído da fruta (azeitona). A qualidade oscila como a dos vinhos, mas todos têm gordura monoinsaturada, vitaminas, antioxidantes e minerais, além de vitamina E. Rejane explica que o azeite, como os óleos, também tem gordura saturada. Por isso, uma boa dica é comparar, através do rótulo, a porcentagem de gordura saturada presente nas diferentes marcas.

O consumo de gorduras boas não deve ultrapassar 30% a 35% das calorias consumidas no dia - o que equivale de uma a duas colheres de sopa. ''Se passar disso, vai se transformar em gordura, que vai se depositar no abdome. Aí não vai mais ser benéfico. Dependendo do que tenho na minha dieta é que vou formar meu corpo'', avalia Rejane.



Retornar Ó ┴rea de NotÝcias